Acessibilidade: -A +A normal

 
Prefeitura Municipal de Contagem
   

Novas regras para otimizar atendimento em catástrofes naturais

Plano de Contingência de Proteção e Defesa Civil modernizado é lançado pela Prefeitura de Contagem

Geraldo Tadeu

O secretário de Defesa Social, Décio Camargos, conduziu a apresentação do Plancon

Foi lançado nesta semana o novo Plano de Contingência de Proteção e Defesa Civil (Plancon) de Contagem, com procedimentos estabelecidos para casos de emergências e desastres naturais, como deslizamentos, inundações e desmoronamentos. São ações previstas para serem executadas por uma rede de órgãos governamentais e não governamentais, que foram apresentadas pelo secretário Municipal de Defesa Social, Décio Camargos, e pelo coordenador municipal de Proteção e Defesa Civil, Samuel Martins Lara.

“O Plancon é uma espécie de recomendação sobre como agir para mitigar ou mesmo evitar danos e prejuízos decorrentes de catástrofes naturais. Por meio dele é possível padronizar ações e estabelecer as responsabilidades de cada ente envolvido na busca por um atendimento rápido e eficiente”, explicou Décio Camargo.

A implementação do plano é obrigatória, segundo o secretário-adjunto de Defesa Social, Antônio Fiuza. “A negligência nessa área é passível inclusive de responsabilização pelo Ministério Público. Portanto, é importante que todos tenham familiaridade com o Plancon e o utilizemos como uma bússola para nortear suas ações”, disse.

O Plancon foi desenvolvido a partir das análises e mapeamentos dos cenários de risco identificados como prováveis e relevantes. Também levou em consideração o Plano Municipal de Redução de Risco (PMRR), criado pela Fundação Israel Pinheiro e finalizado em 2017, no qual constam dados detalhados das principais áreas do município com baixo, médio, alto ou muito alto risco de deslizamento, alagamento e inundação.

De acordo com Samuel Lara, há 128 setores de risco na cidade e 195 pontos de alagamentos e inundações. “As características morfo-geológicas de Contagem, aliadas ao processo de ocupação, que se deu de forma rápida e desorganizada, com ocupações irregulares e assentamentos precários, imprimem à cidade condições favoráveis para a ocorrência de eventos geológicos que configuram situações de risco. Por isso, o plano é fundamental, assim como o comprometimento dos agentes envolvidos”, destacou.

before

O plano é executado por uma rede de órgãos públicos e não governamentais

O coordenador da Defesa Civil ressalta que o plano só terá consistência e confiabilidade com a adesão de todos os parceiros citados no documento. Viviane Valentin, técnica do setor de engenharia do órgão municipal, informou que houve melhorias em relação à última versão do documento. As equipes de vistoria foram divididas por regional, o número de profissionais ampliado e o fluxograma das ocorrências revisto e otimizado. “Neste novo documento buscamos corrigir algumas falhas e implementar um trabalho de monitoramento permanente”.

A previsão é a de que o trabalho da Defesa Civil seja melhor e mais integrado em 2018, assegurando ao cidadão contagense mais tranquilidade e agilidade no atendimento. Também estiveram presentes na apresentação do Plancon os secretários municipais de Governo, Wladimir Azevedo, de Administração, Hugo Vilaça, além de representantes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Guarda Civil, Secretaria Municipal de Habitação e Ministério Público.

   

REPÓRTER: Carol Cunha   FOTO CRÉDITO: Geraldo Tadeu   

PUBLICAÇÃO: 09/02/2018 17:27:22