Acessibilidade: -A +A normal

 
Prefeitura Municipal de Contagem
   

Metrô até o Novo Eldorado é só o começo de um sonho

Em entrevista à Itatiaia, Alex de Freitas destaca apoio de outros prefeitos para maior ampliação do meio de transporte

Cassio Matias

Alex de Freitas foi entrevistado pelo jornalista Eduardo Costa

“Tenho a convicção hoje e a consciência tranquila de que nosso governo vai salvar muito mais vidas e garantir escolas com muito mais qualidade para nossos jovens e crianças”. A frase do prefeito de Contagem, Alex de Freitas, em entrevista ao jornalista Eduardo Costa, da Rádio Itatiaia, nesta terça-feira (14), resume o entusiasmo e compromisso do gestor com as propostas apresentadas por ele para o município de quase 700 mil habitantes.

Algumas em curso, como a ampliação do metrô e a construção de escolas em tempo integral, outras consolidadas, como o pleno funcionamento da melhor maternidade pública de Minas Gerais. Em dois blocos de entrevista, o prefeito ouviu mensagens de apoio de ouvintes e respondeu perguntas enviadas por eles.

Alex destacou a parceria com prefeitos da Região Metropolitana de Belo Horizonte para que a ampliação do metrô seja ainda maior, até a divisa com Betim, beneficiando outros municípios vizinhos. Destacou a abertura de licitação para melhorias no transporte coletivo, as obras de revitalização dos mais de 14 quilômetros da Via Expressa, deu explicações sobre adequações na cobrança do Imposto Predial Territorial (IPTU) e opiniões sobre política.

Confira trechos da entrevista:

 

SAÍDA DO MINISTRO E AMPLIAÇÃO DO METRÔ

“Ouso dizer, sem nenhum desrespeito ao ministro que deixou o cargo (Bruno Araújo, das Cidades), que eu espero até que melhore, porque muita coisa em Brasília, nas instituições de uma forma geral, elas caminham é no segundo e terceiro escalões. São neles que eu tenho transitado desde que tomei posse. Desde que a gente começou com esse sonho do metrô e foi entender que o de Contagem tem o metro linear mais barato do Brasil, foram nesses escalões que encontramos ressonância. Estive algumas vezes com o ministro, que me recebeu muito bem, mas os avanços técnicos acontecem nos andares de baixo”.

“Assinamos uma intenção da liberação dos empréstimos (de R$ 157,7 milhões). Essa semana foram enviados representantes do Ministério para Belo Horizonte, que se reuniram com técnicos de Contagem, da Metrominas e da CBTU para fazerem a revisão do projeto (executivo), para que a gente tenha os números e as fórmulas para a liberação dos recursos”.

“Será preciso o mínimo de desapropriação. Já temos um pátio de manobras da CBTU, onde será a estação Novo Eldorado. Essa estação está orçada no projeto em R$ 60 milhões. Acho que uma estação não precisa custar isso tudo para atender bem a população. Se a gente otimizar esse recurso, e avaliando isso com os técnicos do Ministério das Cidades e da CBTU, com mais um pouquinho de esforço chegaremos até o Bernardo Monteiro”.

“Nessa primeira etapa serão 1.600 metros de ampliação, da estação Eldorado ao Novo Eldorado. Mas o nosso sonho ideal, inclusive para atender melhor a Região Metropolitana e a nossa irmã Betim, é chegarmos com o metrô ao bairro Bernardo Monteiro. Não tive nenhuma solidariedade do prefeito de Belo Horizonte, mas não posso dizer o mesmo do prefeito de Betim, Vittorio Medioli, que tem sido parceiro na construção desse projeto”.

“O recurso virá do governo federal, do FGTS, o empréstimo será concedido com quatro anos de carência e 20 anos para pagar. Dando tudo certo e a gente cumprindo o calendário do último encontro com o ministro, assinando até o início de dezembro a liberação desse recurso da Caixa Econômica Federal, com quem já adiantamos as conversas, acho que podemos licitar até  meados de 2018 e começar as obras ainda no ano que vem. É uma obra sem maior complexidade, e eu acredito que, em no máximo 18 meses, a gente entrega”.

“Nossa expectativa é atender em Contagem 30 mil passageiros a mais por dia, junto com outro financiamento, que também está em adamento  no Ministério das Cidades, que é a confecção de uma importante via, a avenida Maracanã, que diminuirá o tempo de viagem para a boa gente que vive em Nova Contagem, onde quase 90% da população tem que trabalhar fora de Contagem ou longe das suas casas, com tempo médio de viagem de uma hora e dez minutos. A redução será de 25 a 30 minutos por viagem”.

“(O metrô até a divisa com Betim) Muda completamente, daí a importância das nossas conversas,  Vittorio (Medioli)  eu , principalmente, com o governo do Estado, da reformulação de todo o sistema metropolitano sobre pneu”.

 

LICITAÇÃO DO TRANSPORTE COLETIVO

“Elaboramos um grande edital, vamos submetê-los a audiências públicas, como a lei prevê, apresentá-lo ao Legislativo e à sociedade civil, e vamos colocá-lo na praça. Um edital para moralizar o sistema de transporte na cidade. Saindo da mesmice. Um edital aberto, com acompanhamento dos principais atores. Buscamos os melhores nomes pelo país afora e tenho convicção que será uma referência para qualquer município do Brasil no tocante à concessão do transporte coletivo. O edital prevê o conforto, a segurança, uma tarifa justa, mas também prevê sustentabilidade, com ônibus elétricos, novos. O vencedor (da licitação) terá que fazer investimento sobretudo na qualidade e aumento das linhas que atendem o município”.

“Hoje eu desafio a alguém que não seja da cidade chegar à região do Petrolândia, por exemplo, pegar um ônibus e tentar ir à Ressaca. A pessoa demora pelo menos uma semana para entender como funciona. Estamos reformulando tudo isso e com base nesses investimentos no metrô vamos conseguir ofertar uma tarifa muito mais justa”.

“Sou um dos poucos prefeitos que brigou com o sindicato (das empesas de ônibus) para a redução da tarifa em Contagem. Ainda estamos brigando, com um processo na Justiça. Conseguimos por um período reduzir o valor de R$ 4,05 para R$ 3,70, as empresas obtiveram uma liminar para voltar a tarifa para R$ 4,05, entramos com recurso e eu acho que ainda esse mês vamos ter uma resposta que eu espero ser positiva, com a tarifa voltando para R$ 3,70”.

before

O prefeito de Contagem quer levar o metrô até o Bernardo Monteiro

INVESTIMENTOS COM ARRECADAÇÃO DO IPTU

“As mesmas pessoas que criticam a cobrança do IPTU me apresentam demandas das mais diversas. Nosso pavimento é o pior de Minas Gerais, nossa saúde, de uma cidade de quase 700 mil habitantes, por 20 anos só tinha 170 leitos do SUS, e estamos  agora com quase 400. Investimos para que a maternidade oferecesse um atendimento decente e não tenho dúvida que é a melhor maternidade pública de Minas Gerais”.

“No ano que vem, quero inaugurar um serviço de hemodinâmica, para que se alguém sofrer um ataque cardíaco em Contagem não fique numa loteria, numa roleta russa, ou tenha que transitar por Belo Horizonte, ainda mais com a crise que a saúde pública vem enfrentando. Para que a gente resolva esses casos em Contagem. Mas tudo isso demanda investimentos, custos. Em 27 anos de isenção do IPTU, jamais foi apresentado um impacto orçamentário-financeiro, o que deveria ocorrer desde 2002 para qualquer anistia de imposto. Quando o Ministério Público me acionou para apresentar esse estudo, tive que apresentá-lo de boa fé”.

“Não fui eu que mudei de ideia (sobre IPTU). Encontrei uma lei nova assim que assumi, que a Câmara havia votado em dezembro de 2016. O que eu fiz foi cumprir a lei, tentar dialogar com o Ministério Público de Contas para que  fizéssemos a cobrança no ano subsequente, para organizar a prefeitura, para preparar uma população que não contava com essa despesa, mas sem êxito. Diante dos esclarecimentos e verificando as contas da prefeitura eu sabia que isso ia acarretar um desgaste pessoal e político muito grande, mas eu disse para toda a minha equipe, aos mais próximos e todos que me perguntam: se isso vai transformar o agente político Alex em alguém que ninguém mais quer votar, saberemos disso daqui a três anos. Mas tenho a convicção hoje, e digo isso para minha família, que tenho a consciência tranquila de que nosso governo vai salvar muito mais vidas, vai garantir escolas com muito mais qualidade para nossos jovens e crianças, porque Contagem sacrificou a população mais carente com essa farra de perdoar IPTU”.

“Temos que cobrar o imposto justo e aplicá-lo de maneira devida. É lei. Entreguei esse impacto orçamentário-financeiro tanto para a Câmara quanto para o Ministério Público. Hoje não tem como mais dar ré. A dívida social que a cidade tem, as escolas caindo aos pedaços, assim como as unidades de saúde, a falta de médico, de mobilidade, de estrutura, o transporte de péssima qualidade, tudo isso demanda investimento. E cada centavo do IPTU vai fazer diferença na vida sobretudo das pessoas que mais precisam”.

 

VIA EXPRESSA

“A Via Expressa entra agora na etapa de pintura, sinalizações vertical e horizontal. Iniciamos na semana passada, a substituição da iluminação, colocando luminárias de LED para garantir mais segurança e conforto a quem transita, e espero que até 15 de dezembro, as obras se  encerrem  e aí  podemos entreguar uma Via Expressa nova para a Região Metropolitana, especialmente para Contagem”.

 

CRISE POLÍTICA

“Fico triste com a situação política do Brasil e com os partidos de uma maneira geral, como brasileiro e qualquer cidadão. Enquanto a gente não tiver uma profunda reforma política não vai haver muito prazer na militância, sobretudo, a partidária”.

“Os partidos, de uma maneira geral, andam na contramão do que a sociedade espera de seus representantes. Os partidos deixaram de ser o fórum onde são formuladas as políticas, as alternativas, as boas ideias, e vivem hoje de nacos do poder. Enquanto a gente não fizer a reforma, vamos nadar na contramão do que a sociedade espera de seus representantes”.

   

REPÓRTER: Ernesto Braga   FOTO CRÉDITO: Cassio Matias   

PUBLICAÇÃO: 14/11/2017 19:01:33