Acessibilidade: -A +A normal

 
Prefeitura Municipal de Contagem
   

Vargem das Flores foi tema de audiência em Belo Horizonte

Representantes da Prefeitura de Contagem explicaram que estudo de impacto ambiental foi feito e enviado ao Ministério Público

Ricardo Lima

Em mais uma audiência pública, dessa vez na Câmara Municipal de Belo Horizonte, Contagem foi convidada a esclarecer a proposta de ajuste feita pela prefeitura a respeito do macrozoneamento para a região de Vargem das Flores dentro do Plano de Desenvolvimento Integrado da Região Metropolitana de Belo Horizonte (PDDI). 

A audiência pública foi promovida pela Comissão de Meio Ambiente e Política Urbana, na última sexta-feira (20), a partir do requerimento do vereador Edmar Branco, que declarou que o pedido de audiência partiu de sua preocupação a respeito do possível adensamento populacional que poderia ter impactos negativos, já que o local é responsável por 10% da água que abastece a grande Belo Horizonte.

Mais uma vez, a deputada estadual Marília Campos questionou a falta de um estudo técnico que indique o impacto ambiental que a modificação proposta teria sobre a área rural e a represa de Vargem das Flores. Essas alegações foram respondidas pela prefeitura. Marcos Botelho lembrou à deputada que o estudo já havia sido entregue  à Agência de Desenvolvimento  da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

O gestor do Departamento de Controle Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Marcos Botelho, lamentou que a deputada tenha apresentado à comissão apenas o pedido do Ministério Público para que se apresentasse um estudo complementar, sem estar acompanhado da resposta dada pela Semas. “Esse estudo complementar foi feito por uma equipe técnica da Prefeitura de Contagem, e já foi entregue ao Ministério Público, atendendo à solicitação desse órgão. Também lamento que a deputada alegue desconhecer os estudos disponibilizados pela prefeitura. Discutir tecnicamente o projeto, se é viável ou não, ou se realmente é o mais indicado para a cidade, faz parte. Mas alegar a sua inexistência é desrespeitar os técnicos que nele trabalharam”, disse. 

O secretário-adjunto  de Meio Ambiente, José Roberto Garbazza, em sua fala, cobrou com firmeza a responsabilidade das administrações passadas nas ocupações irregulares e nos demais problemas que hoje estão instalados na região. O secretário de Desenvolvimento Econômico, René Vilela, apontou a politização do tema. “Se nós temos efetivamente o objetivo de preservar os mananciais hídricos e recuperar o que já foi degradado, temos que cultivar o diálogo e o respeito. Temos diferenças de natureza técnica, institucional e política, inclusive com a utilização de outdoors espalhados por Contagem acusando a prefeitura de querer acabar com Vargem das Flores. Isso é, no mínimo, desrespeitoso com o poder público e com os gestores. A linha que queremos trabalhar não é essa, que não agrega, só alimenta o conflito e não vai ajudar em nada Vargem das Flores”, ponderou. 

Ao final, ficou decidido que seria marcada pelo vereador Edmar Branco, em data oportuna, uma visita técnica a Vargem das Flores, para que se veja in loco os problemas que atingem a região. Todos os envolvidos serão convidados. Também participaram da audiência representantes da Associação de Proteção, Defesa das Águas de Vargem das Flores (Aprovargem).

   

REPÓRTER: Túlio Andrade   FOTO CRÉDITO: Ricardo Lima    

PUBLICAÇÃO: 23/10/2017 16:31:23

Audiência pública em Belo Horizonte - Vargem das Flores