Acessibilidade: -A +A normal

 
Prefeitura Municipal de Contagem
   

APA Vargem das Flores é tema de debate na Assembleia Legislativa

Preservação das nascentes foi o ponto central da audiência pública na Comissão de Meio Ambiente

Ricardo Lima

Audiência discutiu situação das nascentes que abastecem Área de Proteção Ambiental (APA) Vargem das Flores,

Representando a Prefeitura de Contagem, o secretário Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Wagner Donato, participou na quarta-feira (22) de audiência pública na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), quando foi debatida a situação das nascentes que abastecem a represa Várzea das Flores, nos municípios de Contagem e Betim.

A audiência foi resultado de uma visita técnica na Área de Preservação Ambiental (APA) Vargem das Flores, que contou com representantes da comissão, do Instituto Estadual de Florestas (IEF), das secretarias de Meio Ambiente de Betim e Contagem e administradores das regionais, além de representantes da sociedade civil. Foram constatados problemas em relação às nascentes que desembocam na represa, além de agressões como queimadas, ocupações irregulares, desmatamento e despejo irregular de lixo.

Em sua intervenção, o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Contagem, Professor Wagner Donato, ressaltou as ações que já estão sendo tomadas pela cidade, com vistas à solução dos problemas. “Em pouco menos de cinco meses de gestão, dobramos nosso quadro de fiscais, o que nos permitirá agir com mais rapidez na detecção e autuação de atitudes irregulares. Estamos realizando encontros regulares com a Copsasa no intuito de definir ações de saneamento que serão feitas em toda a cidade, além da Várzea das Flores. Com relação à preservação das nascentes, temos dois projetos já em andamento: o primeiro é o Contagem das Nascentes, que identifica, mapeia e toma medidas para a recuperação e preservação de todas as nascentes de Contagem. O segundo é o Água Boa, em pareceria com a Copasa”, disse.

Quanto aos questionamentos levantados sobre o Plano Diretor, Wagner Donato enfatizou a importância da realização das pré-conferências para recebimento das demandas da população. “Isso resultará num caderno de propostas que passaremos ao Compur, que tem a atribuição legal de convocar uma grande conferência que decidirá sobre o projeto que vai para apreciação da Câmara. É a partir daí que o governo definirá um plano de desenvolvimento sustentável para toda a cidade. A elaboração do Plano Diretor é uma obrigação legal, que deveria ter sido feita no governo anterior”, concluiu. 

   

REPÓRTER: Túlio Andrade   FOTO CRÉDITO: Ricardo Lima   

PUBLICAÇÃO: 26/05/2017 16:08:47